Em clássico emocionante, Atlético-MG vence Cruzeiro com show de Tardelli

Tardelli marcou três gols e foi expulso no jogo

No primeiro clássico mineiro da década, o Atlético-MG venceu o Cruzeiro por 4 a 3 em um jogo emocionante com uma atuação de gala do atacante Diego Tardelli, autor de três gols e ainda expulso no fim do jogo, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, e manteve os 100% de aproveitamento no Campeonato Mineiro.

A tarde foi especial para Tardelli, que havia dito durante a semana que seu sonho era marcar três gols em um clássico contra o Cruzeiro para repetir o que fez Obina no último jogo entre as duas equipes, também vencido pelos atleticanos por 4 a 3. O atacante marcou três vezes e ainda foi expulso no último minuto pelo segundo cartão amarelo por ter colocado a mão na bola.

O Cruzeiro abriu o placar aos 19 minutos de jogo com o atacante Wellington Paulista, que marcou pela terceira vez em clássicos mineiros. Cinco minutos depois, Diego Tardelli converteu uma penalidade polêmica para empatar. Aos 27, o camisa 9 atleticano colocou sua equipe a frente ao marcar pela segunda vez na tarde.

Para a etapa final do jogo, o técnico Cuca promoveu duas mudanças na equipe do Cruzeiro. Roger entrou na vaga de Gilberto e Edcarlos substituiu Léo.

Logo na volta do intervalo, aos 4 minutos, Henrique voltou a deixar o marcador igual ao fazer um gol para o Cruzeiro. Porém, a alegria duraou pouco, já que Tardelli mais uma vez voltou a colocar o Atlético na frente com um belíssimo gol da entrada da área.

Aos 26 da etapa final, Neto Berola ampliou a vantagem atleticana e praticamente liquidou o jogo. Só que Gil, de cabeça, diminuiu para o Cruzeiro deixando 4 a 3 com menos de dez minutos para o fim. Em seguida, a equipe celeste ainda conseguiu pressionar e chutou uma bola na trave. Mas não foi o suficiente para empatar a partida.

"Freguês" do Cruzeiro no final da última década, o Atlético conseguiu a sua segunda vitória seguida em clássicos e começa a reverter o cenário, curiosamente pelo mesmo placar (4 a 3) e com um atacante marcando três gols.

Com o resultado, o Atlético-MG vai aos nove pontos na tabela do Campeonato Mineiro e assume a liderança isolada de forma provisória da comeptição. O Cruzeiro perdeu os 100% no Estadual e por enquanto está em terceiro.

Tardelli marcou três gols e foi expulso no jogo
Crédito da imagem: Agência Estado
O jogo - O Cruzeiro, fazendo jus ao tabu de não perder para o Galo em partidas válidas pelo Estadual desde 2007, começou o duelo em busca do gol. Aproveitando-se dos espaços na intermediária atleticana, os meias da Raposa passaram a arriscar de longe. Henrique, aos cinco minutos, chutou rasteiro e quase surpreendeu o goleiro Renan Ribeiro.

Poucos minutos depois, Wellington Paulista recebeu de Thiago Ribeiro, mas chutou mal. No entanto, no lance seguinte, o atacante pegou a sobra do chute do argentino Montillo e, com tranquilidade, inaugurou o placar em Sete Lagoas.

Apesar dos ímpetos do Cruzeiro, o Galo também ameaçava. Com maior posse de bola, os comandados do técnico Dorival Júnior chegaram ao empate aos 25 minutos. Após levantamento na área, Léo e Leonardo Silva (que vestiu a camisa celeste nas duas últimas temporadas) se enroscaram e o árbitro Cleisson Veloso Pereira apontou para a marca da cal.

Diego Tardelli não vacilou, deixou tudo igual e, dois minutos depois, apimentou ainda mais o embate. Após passe de Jackson, o atacante ganhou dos zagueiros e furou a meta do goleiro Fábio, que não havia sido vazado na competição até o início da partida.

Com a virada repentina, o Cruzeiro foi em busca do ataque, porém parou no goleiro Renan Ribeiro, que protagonizou várias defesas difíceis, e na trave. Aos 36 minutos, após cruzamento de Montillo, o volante Henrique cabeceou bem, mas parou no poste.

A segunda etapa repetiu a primeira. Ostensivo, o Cruzeiro (que contou com a entrada do meia Roger, após pedidos da torcida) voltou a marcar nos primeiros minutos. Após lindo lançamento de Pablo, Henrique ganhou a dividida dos defensores e deixou tudo igual.

Porém, a alegria dos cruzeirenses durou pouco. Dois minutos depois, Tardelli (que afirmou, antes do jogo, sonhar em repetir o feito de Obina, que fez três gols no clássico do ano passado, no Brasileirão) dominou, girou e chutou forte para transformar o desejo em realidade.

A Raposa esboçou uma reação imediata, mas, aos 26 minutos, o experiente Ricardinho achou Neto Berola, que só teve o trabalho de tirar do alance de Fábio. O tento esfriou o time do treinador Cuca - que estreará na Libertadores na próxima quarta-feira, contra o Estudiantes de La Plata, da Argentina.

Contudo, aos 40 minutos, o zagueiro Gil aproveitou sobra na área, descontou e deu um alento para a torcida celeste, que ainda viu Wellington Paulista carimbar a trave aos 42 minutos. Com o apito final, o Atlético, mesmo sem torcida e com Tardelli expulso por ter colocado a mão na bola nos instantes finais, saiu da Arena do Jacaré com 4 a 3 no placar e aliviado por ter findado o incômodo tabu.

Com o triunfo, o Galo, atual campeão, dormirá na liderança do Estadual, porém pode ser ultrapassado no domingo caso o Guarani, de Divinópolis, vença o Uberaba.

FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO 3 x 4 ATLÉTICO-MG
Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data: 12 de fevereiro de 2010, sábado
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Cleisson Veloso Pereira
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago e Helbert Costa Andrade
Cartões Amarelos: Fábio, Pablo, Léo, Gil, Henrique e Wellington Paulista (CRU); Leonardo Silva, Leandro, Serginho e Diego Tardelli (ATL)
Cartão Vermelho: Diego Tardelli (ATL)

GOLS: CRUZEIRO: Wellington Paulista, aos 18 minutos do primeiro tempo, Henrique, aos 3 do segundo tempo, e Gil, aos 39 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Diego Tardelli, aos 24 e 26 minutos do primeiro tempo e aos 6 do segundo tempo, e Neto Berola, aos 26 minutos do segundo tempo.

CRUZEIRO: Fábio; Pablo, Léo (Edcarlos), Gil e Diego Renan (Wallyson); Leandro Guerreiro, Henrique, Gilberto (Roger) e Montillo; Thiago Ribeiro e Wellington Paulista
Técnico: Cuca

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Jakson, Werley, Leonardo Silva e Leandro; Serginho, Zé Luís, Renan Oliveira (Wesley) e Ricardinho (Diego Souza); Diego Tardelli e Magno Alves (Neto Berola)
Técnico: Dorival Júnior