Atualizado: Thu, 19 Apr 2012 16:35:34 GMT | Por pa.press.net

As 5 maiores polêmicas do Campeonato Europeu de Futebol



Steve McManaman, Alan Shearer e Jamie Redknapp da Inglaterra comemoram o magnífico gol da vitória de Paul Gascoigne contra a Escócia recriando o comentado incidente da "cadeira de dentista".

Steve McManaman, Alan Shearer e Jamie Redknapp da Inglaterra comemoram o magnífico gol da vitória de Paul Gascoigne contra a Escócia recriando o comentado incidente da "cadeira de dentista".

A "cadeira de dentista"

Não há nada que os tablóides ingleses gostem mais do que um pouco de deboche, e o time inglês deu o que falar antes mesmo de o EURO 96 começar.

Os ingleses entraram no torneio com a expectativa de acabar com os 30 anos de perdas em casa, mas foram os acontecimento fora do campo que dominaram as manchetes.

Os jornais publicaram fotografias de uma temporada em Hong Kong mostrando os jogadores a caminho de uma boate e fazendo a brincadeira chamada "cadeira de dentista", onde uma pessoa se senta em uma cadeira e outros entornam diversas bebidas alcoólicas garganta abaixo do "paciente".

Os jogadores foram severamente criticados, especialmente o talismã do time Paul Gascoigne. No entanto, tudo isso foi esquecido quando a seleção animou a nação levando-os até as semi-finais.

Gascoigne, o eterno brincalhão, foi rápido em fazer piada com o incidente, pois logo no início do torneio, na partida vencedora da Inglaterra contra a Escócia, ele reproduziu o famoso incidente na comemoração do seu gol em Wembley, em um momento que ficou para o folclore do futebol.

Basile dá cabeçada em 'Psycho'

O encontro entre a Inglaterra e a França em 1992 foi uma partida bem desanimada, terminando sem gols em Malmo.

Mas será lembrado como um dos jogos mais polêmicos da história do Campeonato Europeu, quando Basile Boli deu uma cabeçada no zagueiro inglês Stuart Pearce.

O zagueiro, que jogava para o Marseille na época, decidiu mostrar quem era mais "Psycho" e abriu um corte na bochecha de Pearce. E ele se livrou dessa.

"É uma dessas coisas. Tenho certeza de que foi um acidente", disse Pearce calmamente depois do jogo, mas seus comentários não impediram que Boli se tornasse o inimigo público número um por alguns dias na imprensa britânica.

Felizmente para Boli, que posteriormente jogou para o time escocês Rangers, depois de alguns dias um novo vilão chegou às manchetes, pois o treinador Graham Taylor foi culpado pelo fracasso inglês depois da derrota por 2 a 1 contra os anfitriões suecos.

Frojdfeldt acerta

O velho ditado de que os melhores árbitros são aqueles que ninguém nota não é o que o árbitro sueco Peter Frojdfeldt segue.

"Agora todo mundo conhece a regra após a nossa decisão", ele disse com orgulho depois de ter arbitrado o confronto no Grupo C entre Holanda e Itália no EURO 2008.

Embora seja difícil contestar a superioridade holandesa com o placar de 3 a 0, o primeiro gol da partida de Ruud van Nistelrooy criou uma das maiores polêmicas do torneio.

Quando o artilheiro da Holanda marcou o primeiro gol em Berne, Christian Panucci estava fora do campo após ter colidido com o goleiro Gianluigi Buffon, mas foi considerado em jogo.

O gol foi concedido apesar dos protestos contra o árbitro Frojdfeldt.

"Se nós não tivéssemos mantido essa interpretação, o que poderia acontecer é que os jogadores do time defendendo poderiam começar a sair do campo para forjar um impedimento e isso é claramente inaceitável", disse o secretário geral da UEFA David Taylor em defesa do árbitro.

"Nossas leis tem que ser o mais simples possível para o árbitro interpretar e para o uso tático das leis caso sejam introduzas outras interpretações.

Como um jogador da defesa você está em jogo a não ser que tenha permissão para estar fora do campo."

Portugal paga o pênalti

Faltavam apenas quatro minutos da prorrogação e França e Portugal estavam empatados em 1 a 1 na semifinal do EURO 2000, quando o chute de Sylvain Wiltord foi defendido com a mão dentro da área pelo português Abel Xavier.

O árbitro Gunter Benko sinalizou o escanteio, mas mudou de ideia e deu o pênalti a França após ter consultado seu bandeirinha, Igor Sramka.

Não é preciso nem dizer que os portugueses não ficaram nada felizes e os jogadores, particularmente Nuno Gomes, expressaram seus sentimentos antes e depois da cobrança, intimidando fisicamente ambos os árbitros.

Zinedine Zidane converteu o gol de ouro para colocar a França na final, mas o pesadelo não parou por aí para Portugal.

Gomes, Xavier e Paulo Bento foram todos punidos com longas suspensões do futebol internacional, embora os três tenham apelado a decisão e conseguido reduzir a pena.

"Reitero que não fiz nada errado", diz Xavier, ex-defensor do Everton. "As imagens televisivas estão disponíveis e as pessoas podem assistir.

Isso prejudicou muito a minha carreira, pois havia clubes que estavam interessados em mim, clubes que estão envolvidos em competições europeias."

Espanha sofre

A Espanha é hoje em dia campeã mundial e europeia, mas não devemos esquecer que eles nem sempre foram essa força do futebol internacional.

Antes de garantir a coroa do EURO 2008, a Espanha não ganhava uma importante competição internacional desde o Campeonato Europeu em casa 44 anos antes.

A falta de sorte e um desempenho fraco custaram muito à seleção espanhola em diversas ocasiões, sendo que o último fracasso havia sido no EURO 1996.

A Espanha enfrentava uma quarta-de-final difícil contra os anfitriões ingleses, qua estavam por cima após a goleada de 4 a 1 contra a Holanda na sua última partida da fase de grupos.

A seleção de Javier Clemente se recusou a entregar o jogo como a Holanda havia feito, e teve dois gols cancelados.

No segundo gol, do Kiko, a interpretação è duvidosa, mas no primeiro, marcado no primeiro tempo, Julio Salinas claramente não está impedido, para seu total desespero.

"Não jogamos apenas contra 11 jogadores e 70.000 torcedores, mas também contra 3 juízes. Era impossível vencer", desabafa Salinas após ver a Espanha perder por 4 a 2 nos pênaltis.