Atualizado: Thu, 19 Apr 2012 16:39:38 GMT | Por pa.press.net

Os cinco melhores gols de todos os tempos: Grandes gols do Campeonato Europeu



Ruud Gullit, Marco Van Basten centro e Arnold Muhren esquerda da Holanda.

Ruud Gullit, Marco Van Basten (centro) e Arnold Muhren (esquerda) da Holanda.

Marco van Basten (Holanda vs. URSS, final, 1988)

A Holanda e Van Basten foram excepcionais durante todo o EURO 88, mas o gol pelo qual o ex-artilheiro do AC Milan será sempre lembrado foi marcado na final.

Em Munique, os holandeses já estavam à frente com 1 a 0, graças ao primeiro gol de Ruud Gullit, quando Arnold Muhren fez um lançamento cruzado longo à direita, para Van Basten, por cima da defesa soviética.

Van Basten parecia não ter ângulo para marcar e a maioria dos espectadores achou que, primeiro, ele tentaria controlar a bola.

Mas, ao invés disso, ele ajeitou o corpo e chutou direto para o gol, exibindo uma técnica excepcional e surpreendendo Rinat Dasaev com uma bola no canto superior da rede.

O gol garantiu à Holanda a primeira e única grande conquista no importante torneio.

Van Basten afirmou: "É preciso muita sorte para marcar um gol desses. Tudo deu certo. É uma dessa coisas que, às vezes, simplesmente acontecem.

Posso dizer muitas coisas sobre esse gol, mas, realmente, foi uma sensação fantástica.

Devo me alegrar e agradecer esse momento que foi dado a mim e à Holanda."

Tomas Brolin (Suécia vs. Inglaterra, partida da fase de grupos, 1992)

A Inglaterra ficou famosa por ter sido eliminada do EURO 92 pelos anfitriões suecos em Estocolmo, após ter desperdiçado várias chances de aumentar a diferença no placar depois do gol inicial de David Platt.

Jan Eriksson empatou no segundo tempo e a Suécia prosseguiu forte no combate que culminou com o magnífico gol de Brolin, aos 82 minutos de jogo.

Brolin, a estrela do time, disparou à frente trocando passes perfeitos com Klas Ingesson e Martin Dahlin antes de dar o chute único que marcou o gol, apesar dos esforços de Chris Woods.

A Inglaterra não foi capaz de contra-atacar e parecia esgotada, à medida que seus jogadores percebiam que, para eles, o torneio chegava ao fim.

Depois do jogo, a imprensa britânica se virou contra o treinador Graham Taylor, criticando-o por ter substituído Gary Lineker, seu principal atacante.

Mais tarde, a reputação de Brolin na Inglaterra ficou arruinada devido à má temporada que ele teve com o Leeds.

Alan Smith, que substituiu Lineker na partida, afirmou: "Deveríamos ter definido o jogo quando o placar estava 1 a 0 contra a Suécia.

Mas, entregamos um gol de mãos beijadas no começo do segundo tempo e, depois disso, não conseguimos nos recuperar.

Eles ganharam confiança e Thomas Brolin marcou um lindo gol para fechar a partida."

Paul Gascoigne (Inglaterra vs. Escócia, partida da fase de grupos, 1996)

Antes do início do torneio, a imprensa caiu em cima de Gascoigne devido à sua participação em uma brincadeira chamada "dentist's chair", que envolve alto consumo de bebida alcoólica durante o deplorável tour de aquecimento da Inglaterra em Hong Kong.

Mas ele respondeu de maneira tipicamente brilhante, em campo, e seu fantástico gol contra a Escócia, obviamente, foi o grande destaque.

A Inglaterra estava à frente com um placar de 1 a 0, graças ao gol de cabeça de Alan Shearer. A Escócia ameaçava, mas Gascoigne, que nessa época jogava para o Rangers, buscou um passe pela esquerda da grande área e, atrevidamente, driblou a bola por cima da cabeça de Colin Hendry.

Ele avançou e pegou a bola no voleio, lançando um chute certeiro e deixando Andy Goram para trás, marcando um dos melhores gols de Wembley.

Sem esquecer dos seus críticos da imprensa, ele comemorou deitado no chão, pedindo que seus companheiros jogassem água na sua boca, recriando a noite de bebedeira em Hong Kong.

"As pessoas sempre me perguntam se esse foi meu melhor gol", disse Gascoigne.

"Em termos do significado do gol, não houve nenhum que o igualasse. Na época, eu estava jogando na Escócia pelo Rangers, portanto, foi uma doce vitória.

E ouvir uns 70.000 torcedores cantando seu nome é simplesmente inacreditável."

Ronnie Whelan (República da Irlanda vs. URSS, partida da fase de grupos, 1988)

A seleção irlandesa de Jack Chariton não era particularmente conhecida pela sua astúcia, mas Whelan mostrou muita habilidade ao marcar um dos melhores gols do torneio, em Hannover.

Talvez como seria de se esperar, ele veio de uma fonte direta, quando Mick McCarthy cobrou uma lateral com uma bola longa que chegou perto da linha do pênalti.

O meia do Liverpool Whelan mostrou agilidade e técnica ao se lançar à frente e finalizar com um magnífico voleio perto da linha da grande área.

A bola voou para a rede e deu aos irlandeses mais razões para comemorar, depois de já terem vencido a Inglaterra em seu jogo de estreia.

O treinador Chariton disse: "Foi um lance excepcional do Mick. Ele não chutou direto para o gol, na verdade, Ronnie colocou a bola na extremidade da área e conseguiu chutar a uma altura acima de sua cabeça.

A maioria dos gols que você gosta vem como um choque e esse eu vou lembrar por muito tempo."

Infelizmente, a alegria não durou muito para a Irlanda, pois Oleh Protasov empatou para a União Soviética a 16 minutos do apito final.

A Irlanda ainda estava bem posicionada para se qualificar, mas foi derrotada pela Holanda em sua última partida da fase de grupos, enquanto que a União Soviética chegou até a final.

Davor Suker (Croácia vs. Dinamarca, partida da fase de grupos, 1996)

Em Hillsborough, a Croácia envergonhou a então campeã Dinamarca com uma convincente vitória de 3 a 0, com o sublime toque de Suker selando o grande feito croata.

Suker colocou sua seleção na liderança marcando o primeiro gol de pênalti e fazendo a assistência do segundo gol de Zvonimir Boban a 12 minutos do final da partida, depois ter levado um susto com uma bola de Brian Laudrup que havia batido na trave.

Era simplesmente a Croácia, merecidamente participando pela primeira vez de um torneio importante, e ainda houve tempo para Suker finalizar a vitória com estilo.

O lendário goleiro dinamarquês Peter Schmeichel havia corrido para o campo adversário para cobrar um escanteio e precisou retroceder desesperadamente quando a Croácia lançou um rápido contra-ataque.

Apesar dele conseguir voltar para defender seu gol, isso não adiantou muito, pois Suker controlou a bola pela esquerda e, então, levantou-a por cima do craque do Manchester United com a chuteira esquerda.

Suker afirmou: "Ele [Schmeichel] parece apavorante quando está defendendo seu gol, mas você não pode se assustar. Foi um dos gols mais bonitos que já marquei."