Atualizado: Thu, 19 Apr 2012 14:44:36 GMT | Por pa.press.net

Guia das previsões para o EURO 2012: O que você precisa saber sobre o EURO 2012



EURO 2008: Jogadores espanhóis comemoram com o troféu

EURO 2008: Jogadores espanhóis comemoram com o troféu

Guia das previsões para o EURO 2012: O que você precisa saber sobre o EURO 2012

Quando o assunto é coroar os campeões europeus de futebol no Estádio Olímpico em Kiev em 1o de julho, vale lembrar que a competição provavelmente será muito intensa.

As melhores seleções do continente irão se reunir na Polônia e na Ucrânia por uma chance de levantar o troféu, num torneio que promete ser um Campeonato Europeu inesquecível.

Os bons apostadores dizem que nunca é uma boa ideia descartar a Alemanha como possível campeã.

Apesar de terem caído no Grupo B, o chamado "Grupo da Morte", junto com a Holanda, Portugal e Dinamarca, a história nos mostra que a Alemanha, independentemente dos talentos disponíveis na época, sempre mostra o seu melhor quando o torneio começa.

As estatísticas e os armários de troféus não enganam: tricampeões da Copa do Mundo e vice-campeões em outras quatro ocasiões, e tricampeões do Campeonato Europeu e vice-campeões em outras três ocasiões.

E agora, sob a excepcional orientação do treinador Joachim Low, estão prontos para acrescentar ataques ousados e gols confiantes à famosa eficiência alemã.

Isso faz com que o jovem time, que ficou em terceiro na Copa do Mundo dois anos atrás, seja uma equipe perigosa, contando com jogadores ávidos de vitória, como os meias Mesut Ozil e Bastian Schweinsteiger e as máquinas de fazer gols Mario Gomez e o sempre jovem Miroslav Klose.

No entanto, terão que jogar bem logo no início na sua primeira partida contra Portugal, que conta com o maravilhoso talento de Cristiano Ronaldo do Real Madrid, mas que talvez não tenha a resistência suficiente para passar para a fase do mata-mata.

A Holanda, vice-campeã da Copa do Mundo, tem Robin van Persie, Arjen Robben, Wesley Sneijder e Klaas Jan Huntelaar. Eles têm a classe necessária para chegar à final, mas como sempre, o que mais importa é o ânimo com que chegarão a Polônia e a Ucrânia.

É comum ouvir dizer que é mais difícil vencer o Campeonato Europeu do que a Copa do Mundo, porque a competição é muito mais intensa desde o início.

A República da Irlanda terá certamente que trabalhar duro no Grupo C, onde enfrenta a Croácia, a Itália e os campeões europeus e mundiais reinantes, a Espanha.

Assim como a Alemanha, a Espanha teve um histórico perfeito nas eliminatórias, e com Andres Iniesta, Xavi, David Silva e Cesc Fabregas possui o meio-campo mais criativo do mundo.

Sem dúvida, é muito bonito ver a Espanha jogar, mas o craque artilheiro David Villa sofreu uma fratura na perna no Campeonato Mundial de Clubes em dezembro e não estará recuperado a tempo para o torneio EURO 2012.

Então, o técnico Vicente del Bosque dependerá ou em Fernando Torres, o artilheiro que marcou o gol da vitória na final de 2008, mas que teve uma temporada frustrante no Chelsea, ou em Fernando Llorente, artilheiro do Atlético de Bilbao, para fornecerem poder de fogo.

E a Irlanda não vai deixar que seja fácil vencê-la. Eles sabem defender, mas a Croácia, inspirada por Luka Modric do Tottenham, e a Itália, vice-campeões em 2008, representam uma forte oposição.

Para a Itália, um grupo difícil, e duas derrotas em amistosos em casa contra o Uruguai e os Estados Unidos reduziram as expectativas dessa seleção que contou, normalmente, com o melhor histórico defensivo nas eliminatórias, com apenas dois gols concedidos. Eles mostraram seu potencial em agosto ao vencer a Espanha, que enfrentam novamente no Grupo C. Não podemos descartar a possibilidade de um lugar na semi-final.

É provável que a Espanha e a Itália passem para a fase do mata-mata, com os anfitriões da Polônia e Rússia vencendo no Grupo A, a maioria dos especialistas acha que a Grécia e a República Tcheca são os forasteiros do grupo. A Grécia chega ao torneio deste ano em excelente forma, com o novo técnico Fernando Santos invicto em 17 partidas até a derrota para a Romênia em novembro. No entanto, eles ainda têm que jogar contra uma das grandes seleções sob a direção de Santos.

No que diz respeito a Inglaterra, caíram no Grupo D, que todos sabem foi uma benção para os ingleses.

Isso é verdade, poderia ter sido muito mais difícil do que Ucrânia, França e Suécia para a seleção inglesa que estará sem Wayne Rooney, suspenso nas partidas contra a França e a Suécia.

A Inglaterra venceu a Suécia por 1 a 0 em Wembley em novembro e a França não se saiu nada bem no EURO 2008, e vergonhosamente deixou a Copa do Mundo de 2010 em total desordem, com alguns jogadores se rebelando contra a equipe de treinadores.

Laurent Blanc assumiu como treinador principal e imediatamente eliminou alguns dos jogadores antigos, trazendo o atacante Karim Benzema, que é peça chave para o sucesso dos franceses, junto com Samir Nasri do Manchester City e Franck Ribery do Bayern Munich.

Apesar da campanha excepcional e invicta da Inglaterra nas eliminatórias, as preparações inglesas foram interrompidas pela saída do treinador Fabio Capello, e o novo técnico Roy Hodgson não teve muito tempo para preparar seleção para o torneio.

Seria errado descartar completamente a Inglaterra, pois contam com jogadores fortes e poderosos e Rooney pode voltar numa etapa fundamental para ajudar a equipe a passar para a próxima fase, mas não há nada que sugira que eles tenham a qualidade necessária para vencer as melhores seleções.

A Suécia continua superando expectativas no nível internacional, estragando o histórico perfeito da Holanda nas eliminatórias na partida final do Grupo E. Isso significa que chegam ao torneio na Polônia e na Ucrânia como os melhores candidatos ao vice-campeonato. Espera-se que a França e a Inglaterra se classifiquem no Grupo D, mas a Suécia vai tentar chegar às quartas-de- final.

Mas nos estágios finais, é provável que as seleções com os melhores jogadores em termos de técnica, tal como a Espanha, a Holanda e a Alemanha, provem para que vieram, embora a Grécia tenha provado em 2004 que é possível ganhar o torneio com muita organização e trabalho em equipe.

No final das contas, sejam quais forem as seleções que chegarem à final, a esperança é que este seja um torneio inesquecível e que na noite de 1 de julho no Estádio Olímpico de Kiev, as milhões de pessoas assistindo em todo o mundo, vejam um magnífico espetáculo do futebol.