Atualizado: Thu, 19 Apr 2012 16:12:49 GMT | Por pa.press.net

Guia das seleções do EURO 2012 - Resumo e cronograma de cada equipe



Seleção da Polônia antes de um amistoso contra a Itália em novembro de 2011

Seleção da Polônia antes de um amistoso contra a Itália em novembro de 2011

Polônia

Treinador: Franciszek Smuda

Craque: Jakub Blaszczykowski

Participações anteriores: 2008 (primeira rodada)

Chances: A Polônia poderia ter tido dificuldades em se qualificar se não fosse coanfitriã do torneio, mas a vantagem de jogar em casa e a sorte de um grupo fácil significa que não pode ser totalmente desprezada. Sua longa trajetória de amistosos de preparação incluiu uma vitória sobre a Argentina e empates contra a Alemanha e Portugal, mas também derrotas contra a Lituânia e a Austrália, o que sugere que podem encontrar dificuldade em passar das quartas-de-final.

Grécia

Treinador: Fernando Santos

Craque: Sotiris Ninis

Participações anteriores: 1980 (primeira rodada), 2004 (campeões), 2008 (primeira rodada)

Chances: A Grécia conseguiu vencer o EURO 2004, portanto, tudo é possível, especialmente por causa da sua sorte no sorteio dos grupos. Como há oito anos, eles chegam ao torneio em excelente forma, com o novo treinador Fernando Santos invicto em 17 partidas até a derrota para a Romênia em novembro. No entanto, eles ainda têm que jogar contra as grandes seleções sob a direção de Santos.

República Tcheca

Treinador: Michal Bilek

Craque: Petr Cech

Participações anteriores: 1960 (terceiro lugar•), 1976 (campeões•), 1980 (terceiro lugar•), 1996 (vice-campeões), 2000 (primeira rodada), 2004 (semi-finais), 2008 (primeira rodada) •Como Tchecolosváquia

Chances: Seria difícil apoiar os tchecos em qualquer outro grupo que este, mas eles tem uma boa chance de alcançar as quartas-de-final. Eles tiveram sorte para chegar às finais depois que um pênalti polêmico os levou a um empate na Escócia, e eles parecem uma sombra do lado que iluminou tanto o Euro 96 e Euro 2004, então qualquer coisa além dos últimos oito seria uma grande vitória.

Rússia

Treinador: Dick Advocaat

Craque: Andrey Arshavin

Participações anteriores: 1960 (campeões•), 1964 (vice-campeões•), 1968 (quarto lugar•), 1972 (vice-campeões•), 1988 (vice-campeões•), 1992• (primeira rodada), 1996 (primeira rodada), 2004 (primeira rodada), 2008 (semi-finais) • Como União Soviética ou CIS

Chances: Antes de serem eliminados pelos campeões espanhóis, o desempenho da Rússia no EURO 2008 foi avassalador. E com a ajuda da sorte de terem caído no Grupo A, este ano podem seguir o mesmo caminho. Um lugar nas quartas-de-final parece certo ou podem até chegar mais longe.

Dinamarca

Treinador: Morten Olsen

Craque: Christian Eriksen

Participações anteriores: 1964 (semi-finais), 1984 (semi-finais), 1988 (primeira rodada), 1992 (campeões), 1996 (primeira rodada), 2000 (primeira rodada), 2004 (quarter-finals)

Chances: O azar de ter caído num grupo tão difícil significa que os dinamarqueses que surpreenderam sendo os campeões de 1992 terão uma tarefa difícil pela frente, mas isso não quer dizer que podemos descartar totalmente uma nova surpresa 20 anos depois. A Dinamarca derrotou os rivais do grupo, Portugal, na última partida das eliminatória para ficar à frente do Grupo H e selar um 2011 altamente bem-sucedido, incluindo 16 pontos nas suas seis partidas competitivas, tudo isso após um deplorável ano de 2010 para os homens de Olsen.

Holanda

Treinador: Bert van Marwijk

Craque: Wesley Sneijder

Participações anteriores: 1976 (terceiro lugar), 1980 (primeira rodada), 1988 (campeões), 1992 (semi-finais), 1996 (quarter-finals), 2000 (semi-finais), 2004 (semi-finais), 2008 (quarter-finals)

Chances: Embora ainda estejam entre os favoritos, a Holanda tem tido dificuldades desde as eliminatórias, perdendo sua partida final do Grupo E na Suécia, antes de terem sido derrotados pelos rivais do grupo, a Alemanha. Uma forte ética de grupo os levou até a final da Copa do Mundo no ano passado e poucos se surpreenderiam se eles repetissem o feito na Polônia e na Ucrânia, isso se conseguirem passar pelo seu grupo.

Alemanha

Treinador: Joachim Low

Craque: Mesut Ozil

Participações anteriores: 1972 (campeões•), 1976 (vice-campeões•), 1980 (campeões•), 1984 (primeira rodada•), 1988 (semi-finais•), 1992 (vice-campeões), 1996 (campeões), 2000 (primeira rodada), 2004 (primeira rodada), 2008 (vice-campeões) • Como Alemanha Ocidental

Chances: A Alemanha passou com facilidade pelas eliminatórias, fazendo nada mais nada menos do que 34 gols em 10 partidas vitoriosas. Os rapazes de Low melhoraram muito desde que foram derrotados pela Espanha nas duas últimas competições internacionais e são um dos favoritos entre as seleções que esperam conter a Espanha na sua busca da terceira vitória consecutiva nos três maiores torneios internacionais. No entanto, eles primeiro têm que passar pelo Grupo B, que não será nada fácil.

Portugal

Treinador: Paulo Bento

Craque: Cristiano Ronaldo

Participações anteriores: 1984 (semi-finals), 1996 (quarter-finals), 2004 (vice-campeões), 2008 (quarter-finals)

Chances: Como tiveram que se qualificar na fase de repescagem depois de perderem a partida eliminatória decisiva na Dinamarca, Portugal está cheio de gols, como ficou provado na goleada de 6 a 2 contra a Bósnia Herzegovina que garantiu a qualificação. Eles também contam com o melhor jogador do torneio, Cristiano Ronaldo. Mas com a Alemanha e a Holanda esperando no Grupo B, é pouco provável que sejam os campeões, a não ser que melhorem sua defesa.

Croácia

Treinador: Slaven Bilic

Craque: Luka Modric

Participações anteriores: 1996 (quarter-finals), 2004 (primeira rodada), 2008 (quarter-finals)

Chances: Será difícil passar da fase de grupos e a primeira partida contra a República da Irlanda provavelmente será imperdível para ambos os lados. Eles foram forçados a se qualificar na fase de repescagem, apesar de serem os grandes favoritos para ficar em primeiro no seu grupo. Embora tenham um dos mais procurados jogadores europeus, Luka Modric, não são a força que eram na década de 90.

República da Irlanda

Treinador: Giovanni Trapattoni

Craque: Shay Given

Participações anteriores: 1988 (primeira rodada)

Chances: Após tantos fracassos nas eliminatórias do Campeonato Europeu e o polêmico incidente da mão na bola que lhes custou um lugar na Copa do Mundo de 2010, a Irlanda finalmente tem algo para comemorar. Eles aproveitaram ao máximo um ótimo empate na repescagem contra a Estônia e apesar de estarem em um grupo difícil podemos esperar deles pelo menos uma supresa no torneio.

Itália

Treinador: Cesare Prandelli

Craque: Gianluigi Buffon

Participações anteriores: 1968 (campeões), 1980 (quarto lugar), 1988 (semi-finais), 1996 (primeira rodada), 2000 (vice-campeões), 2004 (primeira rodada), 2008 (quarter-finals)

Chances: Um grupo difícil e duas derrotas em amistosos em casa contra o Uruguai e os Estados Unidos reduziram as expectativas dessa seleção que contou com o melhor histórico defensivo nas eliminatórias, com apenas dois gols concedidos. Eles mostraram seu potencial em agosto ao vencer a Espanha, que enfrentam novamente no Grupo C. Não podemos descartar a possibilidade de um lugar na semi-final.

Espanha

Treinador: Vicente Del Bosque

Craque: Xavi

Participações anteriores: 1964 (campeões), 1980 (primeira rodada), 1984 (vice-campeões), 1988 (primeira rodada), 1996 (quarter-finals), 2000 (quarter-finals), 2004 (primeira rodada), 2008 (campeões)

Chances: A Espanha pode ser o melhor time do mundo, mas não são invencíveis, como a Argentina, Portugal, Itália e Inglaterra já demonstraram desde a Copa do Mundo. No entanto, ainda são os favoritos para garantir três vitórias consecutivas nos principais torneios internacionais. Se eles jogarem tão bem quanto fizeram em 2008, pode ser impossível detê-los, mas no Grupo C tudo pode acontecer.

Inglaterra

Treinador: Roy Hodgson

Craque: Wayne Rooney

Participações anteriores: 1968 (terceiro lugar), 1980 (primeira rodada), 1988 (primeira rodada), 1992 (primeira rodada), 1996 (semi-finais), 2000 (primeira rodada), 2004 (quarter-finals)

Chances: Roy Hodgson espera provocar impacto imediato depois de ter sido nomeado treinador da Inglaterra após a saída inesperada de Fabio Capello. O experiente Hodgson foi nomeado como sucessor de Capello no início de maio e com tão pouco tempo para trabalhar sua equipe, as expectativas de que a Inglaterra possa provocar impacto são menores do que o habitual. O Three Lions estão em um grupo difícil e apenas os mais patrióticos torcedores ingleses apostariam que sua seleção chegaria além das quartas-de-final.

França

Treinador: Laurent Blanc

Craque: Samir Nasri

Participações anteriores: 1960 (quarto lugar), 1984 (campeões), 1992 (primeira rodada), 1996 (semi-finais), 2000 (campeões), 2004 (quarter-finals), 2008 (primeira rodada)

Chances: Eles podem não ter gostado de ter ficado no mesmo grupo da Inglaterra antes da demissão de Fabio Capello, mas agora a França sente-se bem preparada para enfrentar seus rivais, que tiveram pouco tempo para se preparar sob o novo comandante Roy Hodgson Apesar de quase terem ficado na fase de repescagem, a França entra no torneio com muita confiança. Contanto que evitem a repetição da campanha rebelde da Copa do Mundo, eles têm o talento necessário para alcançar pelo menos as semi-finais, como provaram com sua vitória no amistoso contra a Alemanha no começo do ano.

Ucrânia

Treinador: Oleg Blokhin

Craque: Andriy Shevchenko

Participações anteriores: Nenhuma

Chances: A Ucrânia estava sob o risco de ser humilhada no seu próprio torneio em casa antes de contratar o homem que os levou ao seu único grande torneio até hoje, a Copa do Mundo de 2006. A renomeação de Oleg Blokhin como treinador há um ano revitalizou a seleção nacional e dos seis últimos jogos a caminho do torneio, eles ganharam cinco e empataram um, contra a Alemanha. Uma quarta-de-final agora parece possível, especialmente com a Inglaterra apenas começando uma nova era sob o comando de Roy Hodgson.

Suécia

Treinador: Erik Hamren

Craque: Zlatan Ibrahimovic

Participações anteriores: 1992 (semi-finais), 2000 (primeira rodada), 2004 (quarter-finals), 2008 (primeira rodada)

Chances: A Suécia continua superando expectativas no nível internacional, estragando o histórico perfeito da Holanda nas eliminatórias na partida final do Grupo E. Isso significa que chegam ao torneio na Polônia e na Ucrânia como os melhores candidatos ao vice-campeonato. Seus 31 gols foram o terceiro total mais alto da temporada, tentando compensar o fracasso a caminho da última Copa do Mundo. Espera-se que a França e a Inglaterra se classifiquem no Grupo D, mas a Suécia vai tentar chegar às quartas-de- final.