Atualizado: Thu, 19 Apr 2012 16:45:32 GMT | Por pa.press.net

Europa XI: Melhores jogadores de todos os tempos no Campeonato Europeu



Zinedine Zidane durante a final do Campeonato Europeu de futebol contra a Itália

Zinedine Zidane durante a final do Campeonato Europeu de futebol contra a Itália

Zinedine Zidane (França)

Zidane foi o craque da seleção francesa que acrescentou a glória europeia ao sucesso da Copa do Mundo de 2000. Ele marcou o gol vencedor das quartas-de-final contra a Espanha e o gol de pênalti de ouro no triunfo na semi-final contra Portugal. Zidane não apareceu muito contra a França na final, mas já havia deixado a sua marca e confirmado seu status como um dos maiores jogadores de todos os tempos.

Berti Vogts (Alemanha Ocidental)

É inevitável que qualquer seleção dos melhores do mundo esteja repleta de jogadores da Alemanha, o país que venceu o torneio três vezes e alcançou a final em outras três. Sólido como lateral direito, o desempenho de Vogts em 1972 e em 1976 o coloca à frente do seu compatriota Matthias Sammer, que também jogou em duas finais.

Marco van Basten (Holanda)

Seu gol na final de 1988 contra a União Soviética é celebrado como um dos melhores gols da história do futebol, chutando a bola de um ângulo virtualmente impossível. Van Basten já tinha feito três gols contra a desafortunada Inglaterra e marcado o gol vencedor da semi-final contra os anfitriões da Alemanha Ocidental aos 88 minutos de jogo. Mas o gol da final ultrapassou tudo isso.

Lev Yashin (União Soviética)

Considerado por muitos como um dos melhores goleiros de todos os tempos, o período de Yashin no topo coincidiu com um período de ouro no futebol soviético. Participando da seleção que ganhou o primeiro troféu em 1960 e alcançou a final quatro anos depois, o "Pantera Negra" estabeleceu o padrão que todos os outros goleiros ainda tentam alcançar.

Franz Beckenbauer (Alemanha Ocidental)

Capitão da seleção vitoriosa de 1972, antes de ser o finalista perdedor quatro anos depois. O reconhecimento de Beckenbauer como um dos maiores jogadores de todos os tempos exige que ele seja incluído em qualquer time dos melhores jogadores dos Campeonatos Europeus.

Laurent Blanc (França)

Suspenso da final da Copa do Mundo dois anos antes, Blanc finalmente experimentou a sensação de ganhar a final de um importante torneio internacional no EURO 2000. Foi também a terceira vez que foi escolhido pela UEFA para estar na seleção dos melhores jogadores do torneio.

Paolo Maldini (Italy)

Na verdade, Maldini nunca venceu o torneio, mas destacou-se em 3 campeonatos em sua carreira. Participou do EURO 88 como adolescente e fez parte da seleção italiana que chegou perto de levantar o troféu 12 anos depois, mas viu suas esperanças frustradas pela França nos últimos minutos do jogo.

Xavi (Spain)

Xavi foi nomeado o jogador do torneio em 2008 quando a Espanha finalmente pôs fim à espera por um troféu de importância internacional. Imperioso na posse de bola e esforçado sem a bola, esteve entre os jogadores que ajudaram a colocar de lado a tradicional rivalidade entre o Barcelona e o Real Madrid por uma causa nacional.

Antonin Panenka (Tchecoslováquia)

Ele não é o melhor jogador, mas possivelmente foi aquele que mostrou a maior força de carácter. Na primeira vez que uma disputa de pênaltis definiu uma importante final, Panenka assumiu a tarefa de chutar o pênalti final da sua equipe, sabendo que se ele marcasse o gol, a Tchecoslováquia derrotaria a Alemanha Ocidental. Sob pressão que não poderia ser mais intensa, Panenka mostrou sua tranquilidade, calmamente colocando a bola no centro do goal, enquanto Sepp Maier mergulhava para a direita.

Michel Platini (França)

Platini marcou três gols em duas partidas no seu espetacular desempenho de nove gols no Campeonato Europeu de 1984 em casa, marcando o gol vencedor nos últimos minutos finais da semi-final contra Portugal e abrindo o placar para a França vencer a Espanha na final.

Gerd Muller (Alemanha Ocidental)

O instinto de marcar gols de Muller garantiu a vitória da Alemanha Ocidental em 1972, pois marcou ambos os gols contra a Bélgica na semi-final e mais dois na vitória final contra a União Soviética. Ele marcou seis vezes nas eliminatórias e sua bola encontrou a rede no triunfo alemão na quarta-de-final contra a Inglaterra em Wembley.