Shogun está mais perto de voltar a vestir o cinturão dos meio-pesados - Divulgação/UFC

Shogun está mais perto de voltar a vestir o cinturão dos meio-pesados - Divulgação/UFC

O Brasil poderá ter mais um cinturão de UFC em breve. O presidente do Ultimate, Dana White, garantiu nesta segunda-feira (30) que o vencedor da luta entre o brasileiro Mauricio 'Shogun' Rua e o americano Brandon Vera será colocado para brigar pelo cinturão dos meio-pesaodos (93kg).

Shogun e Vera se farão a luta principal do evento deste sábado, em Los Angeles. O retrospecto do americano não é dos melhores. Das últimas quatro lutas, ele venceu apenas uma. Já Shogun perdeu na última vez que subiu ao octógono para Dan Henderson por decisão dos juízes, na luta que foi considerada a melhor do ano passado.

"Shogun fez a luta do ano em 2011 e ele é, provavelmente, um dos melhores lutadores do mundo na última década. Esse cara nocauteou Rampage, Chuck Liddell, Mark Coleman, Lyoto Machida, Forrest Griffin, Alistair Overeem e finalizou Kevin Rendleman. Uma vitória o colocará de volta ao seu lugar. Ele é provavelmente o segundo melhor no mundo", afirmou Dana White.

Quanto a Brandon Vera, o dirigente não mostrou o mesmo entusiasmo, mas garantiu que o americano também pode ser um lutador considerado top na categoria.

"Tudo é uma questão de oportunidade. Brandon já lutou com vários caras bons, e agora terá a oportunidade de enfrentar um dos melhores lutadores desta década. Vamos ver o que ele vai fazer lá", afirmou.

Lyoto Machida e Ryan Bader, que farão a segunda luta mais aguardada deste sábado, também estavam na coletiva. O brasileiro tinha a esperança de poder brigar pelo cinturão, caso vencesse de maneira contundente o americano, mas não se mostrou chateado com a informação dada por Dana.

"Não estava sabendo. Soube agora na entrevista. Acho que temos que fazer a coisa mais certa. Está aí uma grande luta e quem vencer vai disputar o cinturão. O Shogun já foi campeão, o Vera já lutou em duas categorias (pesado e meio-pesado). Vai ser uma grande luta. Vamos esperar", afirmou Lyoto.