Getty Images

Getty Images

O Brasil pôde gritar mais uma vez é campeão no UFC. Na madrugada de sábado para domingo, Renan Barão venceu Urijah Faber, conquistou o cinturão interino dos peso galo e se juntou a Junior Cigano (pesado), Anderson Silva (médio) e José Aldo (pena). Na coletiva de imprensa após a luta, o brasileiro, que recebeu vários elogios de Dana White, não escondia a felicidade de realizar o sonho.

Segundo ele, a estratégia era fugir do soco de direita de Faber. Para isso, ele aplicaria bastante queda e chutes baixos, assim como José Aldo, seu companheiro de academia fez quando o norte-americano ainda lutava entre os peso pena.

“Estou muito feliz com o sonho realizado. Faber é um grande atleta e eu queria agradecer pela chance, por ele ter pedido a luta. A minha estratégia era manter a distância, evitar a direita dele. Segui isso e saí com a vitória. Hoje (domingo), eu lutei para ser campeão, mas nas próximas vezes vou conseguir soltar mais o jogo”, disse Barão.

A tendência é de que o brasileiro só volte a lutar agora quando Dominick Cruz se recuperar. Eles fariam a batalha para decidir se o campeão interino confirma a sua conquista e vence o campeão licenciado.

Barão, no entanto, disse que aceitaria fazer outra luta ainda como campeão interino, caso Dominick tenha a recuperação muito demorada.

“Dominick é um grande campeão, outro excelente atleta e eu vou dar o meu melhor para sair com a vitória novamente. Eu não escolho adversário e estou à disposição para lutar com quem for”, afirmou.

Por fim, Barão ouviu muitos elogios do presidente do UFC, Dana Whte. “Se você vaiou a luta entre Faber e Barão, você não é fã de MMA. O Barão é um monstro e dominou um dos melhores do mundo”.