Jon Jones se recusou a enfrentar Chael Sonnen no UFC 151 – Divulgação/UFC

Jon Jones se recusou a enfrentar Chael Sonnen no UFC 151 – Divulgação/UFC

Depois de ser alvo de críticas por parte dos fãs e colegas de profissão, e de ser apontado por Dana White como o grande responsável pelo cancelamento do UFC 151, Jon Jones resolveu explicar sua decisão de recusar a luta contra Chael Sonnen.

LEIA MAIS: Veja passo a passo do dia mais tumultuado da história do UFC

LEIA MAIS: Dana White xinga treinador de Jones: “Assassino do esporte”

Em entrevista ao portal “MMA Junkie”, Bones se esquivou das acusações de egoísmo e disse que sentia muito pela situação em que os outros 20 lutadores do card ficaram, mas afirmou que não se arrependia de sua decisão.

“Eu assinei um contrato há um bom tempo para lutar com o Dan Henderson. Essa é a luta que eu estudei, a luta que eu me preparei para fazer. Aceitar uma luta com um cara completamente diferente, para a qual eu basicamente teria três dias para treinar antes de viajar e perder o peso, seria a ideia mais estúpida de todos os tempos. Eu não teria tempo de me preparar”, disse Jones.

“Eu peço desculpas aos outros lutadores do card. Me sinto péssimo, mas a escolha de cancelar o card não foi minha. Eu não tomo essas decisões. Peço desculpas a quem comprou ingressos, passagens de avião e coisas desse tipo. Não me arrependo da minha decisão, mas lamento que tenha afetado tanta gente. Espero que me entendam, apenas tentei fazer o melhor para a minha carreira”, completou o campeão.