LutasLutas
Ag. Fight
Atualizado: 25/03/2013 | Por Ag. Fight

Marca de roupas se desculpa por kimono "nazista"de GSP

Hayabusa Fightwear afirma que não irá comercializar produto


Kimono de GSP no UFC 158 continha símbolo ofensivo – Zuffa LLC via Getty Images

Kimono de GSP no UFC 158 continha símbolo ofensivo – Zuffa LLC via Getty Images

Horas após a publicação da carta escrita por Chan Sung Jung, na qual o lutador coreano reclama do uso da bandeira do Sol Nascente na estampa do kimono de Georges St-Pierre no UFC 158, a marca de roupas Hayabusa Fightwear emitiu um comunicado pedindo desculpas aos ofendidos e afirmando que a peça não será comercializada.

“Desde que Georges St-Pierre usou nosso kimono para entrar na luta do UFC 158, recebemos muita atenção acerca da conotação negativa do sol nascente usado na estampa. A última coisa que queremos é ofender ou alienar qualquer um com as estampas usadas em nossos produtos.

Nós da Hayabusa temos muito respeito pela cultura e pela história, e agradecemos a todos os consumidores ao redor do mundo. Desta maneira, aceitamos a plena responsabilidade por esta estampa e estamos levando todos os comentários e reclamações muito a sério.

O kimono usado por GSP não será comercializado. Além disso, ficaremos conscientes quanto a esta estampa específica no desenvolvimento de materiais e produtos futuros.

Por favor, aceite o nosso pedido de desculpas sinceras por qualquer ofensa que isso causou.”

MSN Brasil no Facebook

para cimapara baixo

msn fotos

Esportivos são os mais visitados(©MSN Fotos)
Esportivos são os mais visitados

Você já viu?

  • Profissão perigo

    Limpadores de janelas arriscam suas vidas trabalhando nas alturas

  • Cena quente

    Casal de atores de 'Império' abusa da sensualidade

  • Nova musa do UFC

    Felice Herrig faz ensaio sensual antes de estreia no octógono

  • Moda das ruas

    Veja como estilistas têm se inspirado nos looks da população anônima

  • Pintura tecnológica

    Aquarelas animadas em 3D de Aaron Becker são espetaculares; conheça